Duas Rodas para o Natal 2016 – conheça e participe do projeto!!!

O projeto DRPN – Duas Rodas para o Natal é uma iniciativa voluntária do Instituto Cicloativo do Brasil para arrecadação, manutenção e doação de bikes para crianças e adolescentes de comunidades carentes da Região Metropolitana de São Paulo e baixada Santista.

Conheça o projeto e participe conosco. Clique aqui e conheça a campanha

DSC02698Tudo registradoDSC02702duas-rodas-2016_logo_principal_01doacaoDSC02707

Tá chegando a hora – FALTAM 2 DIAS para o Desafio Estrada Velha de Santos

Estar com a bike em ordem para o dia do desafio é primordial. É importante que leiam o check-list abaixo e façam o que for necessário até sábado dia 08/10:

  • Verificar se os freios funcionam e estão regulados;
  • Verificar a lubrificação da corrente;
  • Verificar se as marchas estão funcionando perfeitamente;
  • Verificar se os pneus estão calibrados;
  • Verificar a altura do selim;

O que levar durante um pedal também é importante. Vejam só:

  • CAPACETE, luvas e óculos;
  • Celular devidamente carregado com bateria extra se possível;
  • Câmara de ar reserva (no mínimo 2) compatível com o pneu da sua bike;
  • Água / isotônico (em garrafinhas ou na mochila de hidratação);
  • Protetor solar e repelente de insetos;
  • Alimentação (sugestões: barrinha de cereal, frutas de época, castanhas, frutas secas);
  • Farol dianteiro carregado (c/ pilhas extras ou bateria);
  • Lanterna traseira (c/pilhas extras ou bateria);
  • Corta vento ou Jaqueta impermeável;
  • Máquina fotográfica;
  • Carteirinha do convênio ou SUS;
  • Documentos pessoais, dinheiro, cartão de crédito e cheque;

BRIEFING – DESAFIO ESTRADA VELHA DE SANTOS – 09/10/2016

1. COMO CHEGAR AO PONTO DE ENCONTRO – O Instituto Cicloativo do Brasil firmou uma parceria com a CPTM – Cia Paulista de Trens Metropolitanos para embarque dos participantes do desafio NA LINHA 10 – TURQUESA respeitando as seguintes condições:

a. Entre 7h e 7h30 está autorizado o embarque de 10 (dez) bicicletas por viagem em cada vagão na estação Brás da CPTM (exceto o primeiro vagão que é exclusivo para PNE e demais usuários);
b. Teremos alguns GUIAS/COORDENADORES auxiliando o embarque no período especificado no item 1.a;
c. Após as 7h30 o embarque será permitido respeitando o limite de 4 (quatro) bicicletas por viagem e somente no último vagão;
d. Os intervalos entre os trens, segundo a CPTM, serão de 10 (dez) minutos;
e. O trajeto dura cerca de 50 minutos;
f. A prioridade para embarque e utilização dos assentos nos vagões é sempre dos demais usuários;
g. Nunca pedale nas plataformas e acessos. Empurre a bike sempre ao seu lado;
h. Adquira seus bilhetes de embarque antecipadamente e utilize moedas. O custo de cada bilhete é de R$ 3,80 (três reais e oitenta centavos);
i. Solicite educadamente a um funcionário (a) do Metrô e/ou CPTM que abra a cancela ao lado das catracas antes de validar seu bilhete;
j. Agradeça a gentileza do funcionário (a);
k. Não largue a bicicleta encostada nas laterais do vagão e nos acentos, evitando a queda da mesma sobre os demais usuários.

2. PONTO DE ENCONTRO / CONCENTRAÇÃO

a. 8h – Concentração na Estação de Ribeirão Pires (Antônio Bespalec) da linha 10 – Turquesa da CPTM;
b. Dê preferência para chegar ao local utilizando-se das linhas do METRÔ e CPTM;
c. Evite ir de carro e deixar o mesmo estacionado em Ribeirão Pires, opte por estacioná-lo próximo a estações do METRÔ, como a Jabaquara;
d. Apresente-se aos membros da organização logo ao sair da estação e retire sua identificação. Os  GUIAS/COORDENADORES estão devidamente identificados com a camisa do Instituto Cicloativo. .

3. SAÍDA DO PEDAL

a. 9h – Aquecimento. Momento importante para colocar/ajustar o capacete (obrigatório), luvas, óculos, verificar os pneus, zerar o reloginho etc;
b. 9h15 – Briefing dos GUIAS/COORDENADORES voluntários;
c. 9h30 – Saída pontualmente do pedal rumo à cidade de Santos/SP com 55 km de distância.

4. O PERCURSO – Pedalaremos em comboio pelas ruas da cidade de Ribeirão Pires/SP por cerca de 4km. Ao acessarmos a Rodovia Índio Tibiriça utilizem o acostamento e pedalem em fila única, pois desta forma é mais fácil e seguro passar pelas diversas “tartarugas” que existem no acostamento. Faremos alguns pontos de concentração para compactar o grupo e pedimos que fiquem atentos com as orientações dos GUIAS/COORDENADORES que visam sempre a sua segurança.

5. ACESSO AO PARQUE – os ciclistas serão autorizados a entrar no parque mediante as seguintes condições:

• Ter efetuado o pagamento da taxa de inscrição;
• Ter enviado os dados pessoais para elaboração do seguro;
• Estar utilizando OBRIGATORIAMENTE o capacete;
• Estar acompanhado dos GUIAS/COORDENADORES do evento;
• Estar com o nome na lista
• Portar a identificação cedida pela organização;
Durante a descida dentro do parque ocorrerão 4 (quatro) paradas em pontos turísticos da Estrada Velha de Santos e os MONITORES AMBIENTAIS farão uma breve explanação sobre os locais. Os GUIAS/COORDENADORES terão a responsabilidade de serem os contentores, formando uma espécie de barreira a frente dos participantes evitando excesso de velocidade e, consequentemente, quedas durante o trajeto no parque.
O participante que não se adequar as regras será convidado a se retirar do grupo.
A previsão de chegada em Santos/SP é às 16h. Este horário poderá sofrer alterações sem prévio aviso para mais ou menos mediante fatores diversos, como as condições climáticas durante o pedal, problemas mecânicos, paradas muito longas etc.
Chegando em Santos/SP, pedalaremos por diversas ciclovias até o canal 1 da cidade onde haverão alguns quiosques para comemoração e batismo. Se for sua PRIMEIRA VEZ neste desafio, é OBRIGATÓRIO entrar com a bike pedalando nas areias santistas.

6. CARRO DE APOIO – teremos 2 (dois) carros de apoio acompanhando os participantes durante todo o trajeto. O mesmo poderá ser utilizado em casos emergenciais, como:

a. quebra da bike onde o conserto seja impossível ou inviável;
b. ciclistas machucados que fiquem impedidos de pedalar;
c. IMPORTANTE: ciclistas cansados/desistentes serão encaminhados até um local seguro nas proximidades do trajeto para que acionem um resgate próprio ou utilizem de transporte rodoviário para retorno ao seu local de origem.

7. RETORNO A SÃO PAULO – o retorno poderá ser feito via ônibus rodoviário pelo terminal de Santos com destino ao TERMINAL JABAQUARA, SANTO ANDRÉ e SÃO CAETANO DO SUL com as empresas Cometa, Ultra, Rápido Brasil ou Expresso Luxo com custo de no máximo R$ 26,00 (vinte e seis) por pessoa. As empresas estão acostumadas a receber ciclistas, entretanto, os motoristas não se responsabilizam pela colocação das bicicletas no bagageiro e por eventuais danos, ficando sob a responsabilidade do ciclista. Veja abaixo os horários disponíveis para o embarque:

bus-1 bus-2

bus

Dica nº 2 para pedalar no DESAFIO ESTRADA VELHA DE SANTOS – 09/10/2016

Você se inscreveu, fez o depósito da taxa, mandou seus dados pessoais, checou seu nome na lista de confirmados e faltam apenas 5 dias para o #Desafioestradavelha2016 e não ainda não sabe o que levar para chegar ao litoral pedalando?

Fique tranquilo!!! Com a listinha abaixo os perrengues, se houver, serão bem fáceis de resolver e você terá ótimos assuntos para contar durante o trabalho, na hora do almoço, na academia………..

Segue uma lista com itens que podem ser adaptados de acordo com a sua necessidade, condições climáticas, distância que irá percorrer e dias que ficará ausente pedalando por este mundão a fora:

  1. Capacete (OBRIGATÓRIO), luvas, óculos com lentes apropriadas para ciclismo (já vi ciclistas caindo c/ óculos utilizados no dia a dia e sofrendo ferimentos profundos no rosto, pois a lente não se quebrou de maneircicloativo-ciclocomputadora correta);
  2. Ciclo computador aferido para marcar a quilometragem percorrida e tirar aquela foto para matar de inveja quem não foi no pedal;
  3. Celular devidamente carregado, com bateria extra se possível (leve o carregador) e crédito nos pré-pagos (carrega com vintão que já ajuda em uma emergência);
  4. Kit de ferramentas cicloativo-canivete(remendos, lixa, espátulas, câmaras de ar na mesma medida que o pneu que está usando, bomba de ar, canivete com chaves allen/phillips/fenda, chave saca corrente, chave de aros e óleo lubrificante);
  5. Água/isotônico (garrafinhas ou mochilas de hidratação);
    cicloativo-agua-1
  6. Protetor solar e REPELENTE DE INSETOS;
  7. Kit de primeiros socorros (gaze estéril e antiaderente, esparadrapo, sabonete antibactericida, dois rolos de bandagem de 10 cm, bandagem triangular, pinça, tesoura, luvas de látex, analgésico/antitérmico, anti-histamínico, Band-aids, purificador de água em gotas e remédios de uso habitual);
  8. o Kit de higiene (escova de dente/pasta/fio dental, sabonete, desodorante, e absorvente íntimo);
  9. Kit de alimentação rápida (barra de ceral, barra e/ou gel energético, frutas, frutas secas, castanhas etc);
  10. Sistema de transporte de bagagem (mochila, bolsa de guidão, bolsa de quadro, bolsa de selim ou alforges no bagageiro);
  11. Cordinha elástica para amarrar qualquer coisa que deseja no bagageiro e a magrela no ônibus;
  12. Farol dianteiro carregado (c/ pilhas e bateria extra);
  13. Lanterna traseira (c/ pilhas e bateria extra);
  14. Bermuda ou calça de ciclismo com acolchoamento;
  15. Camisetas (dry fit por exemplo);
  16. Meias;
  17. Roupa íntima;
  18. Jaqueta impermeável;
  19. Agasalho;
  20. Tênis ou sapatilha para ciclismo;
  21. Documentos pessoais, dinheiro, cartão de crédito e cheques;
  22. Sacos plásticos para proteção das roupas contra chuvas e para guardar o seu lixo produzido no pedal (embalagens de água, barrinhas etc);
  23. Roupa extra para quando estiver fora da bike;
  24. Chinelos/sandálias/papetes;
  25. Boné;
  26. Sunga/maiô/biquíni;
  27. Máquina fotográfica;
  28. GPS;
  29. Relógio de pulso

Leu o texto e quer contribuir com algum item que julgue fundamental para sair no pedal? Comenta aí: faleconosco@cicloativobrasil.org

Dica nº 1 para pedalar no DESAFIO ESTRADA VELHA DE SANTOS – 09/10/2016

É muito comum encontrarmos ciclistas que saem de casa para pedalar completamente despreparados fisicamente e com a magrela sem condições de fazer um pedal.

Abaixo fizemos um top 11 para não passar apuros naquele pedal tão esperado. Vejam só:

cicloativo-freio

  1. Verificar se os freios funcionam e estão regulados – Ande com a bicicleta sobre um terreno liso, acionando e soltando os freios. Se eles não funcionarem e você não saber como regulá-los, contate ou vá até sua oficina de bicicletas de sua confiança. Procure a ajuda de um mecânico profissional de bikes;
  2. Verificar se a corrente está em bom estado e se ela não acumula ferrugem, sujeira, ou qualquer outro detrito – Corrente sem lubrificante é meio caminho para quebrar. O ideal é que ela esteja limpa e lubrificada. Mesmo pedalando pouco, o óleo seca e é preciso verificar ou simplesmente lubrificar. Corrente lubrificada também facilita a pedalada;cicloativo-corrente
  3. Verificar o sistema de câmbios/marchas (se houver) – Este item também é legal fazer pedalando com a bicicleta em um local plano e trocando todas as marchas para checar se estão funcionando perfeitamente. Caso identifique que alguma marcha está pulando leve até uma bicicletaria para ajustes. Lembre-se: marchas com problemas de regulagem costumam dar sempre problemas quando o ciclista mais precisa, na SUBIDA;
  4. Verificar se os pneus estão adequadamente cheios – Quando a bike fica muito tempo parada, o pneu pode simplesmente esvaziar ou possuir algum furo. Em ambos os casos, antes de sair para pedalar aperte os pneus com as mãos ou suba na bicicleta fazendo pressão para baixo. Para calibrar use uma bomba de bicicleta ou leve até um borracheiro/posto para calibrar. Detalhe importante: as calibragens dos pneus de bicicletas variam de 30 a 120psi e esta informação é encontrada na lateral do pneu. Fique atento para não ultrapassar a calibragem padrão e estourar o pneu;
  5. Verificar a altura do selim (banco) – Isto é realmente fácil. Tudo que você deve fazer é se sentar na bicicleta com o tênis e/ou sapatilha que usa para pedalar e deixar a perna quase que totalmente esticada.  Se ao sentar no selim você consegue colocar os dois pés no chão, ajuste imediatamente a altura para não prejudicar os joelhos enquanto pedala;cicloativo-selim_brooks3
  6. Vestir roupas confortáveis – Andar de bicicleta de chinelo nunca foi uma boa idéia! Use um calçado que seja confortável e adequado para caminhar e pedalar, e que não possua nenhum apetrecho ou cadarço longo que possa enroscar na corrente da bicicleta;
  7. Vestir roupas de ginástica (opcional). Este tipo de roupa possui um tecido bastante adequado para a prática esportiva, pois é leve e se ajusta ao corpo de forma confortável. Caso você não possua ou não queira usar este tipo de vestimenta, prefira roupas mais justas e curtas, sem caimento. O tecido da calça se for pouco justa, pode se prender nas correntes e causar acidentes;
  8. Não amarrar nada na cintura – Tudo que você amarrar na cintura pode cair inesperadamente e se prender à roda traseira. Ai sim você vai ver o que é um bom tombo;
  9. Não pedalar ouvindo música – É bastante recomendado não ouvir música ao pedalar. Algumas músicas mais animadinhas podem lhe encorajar a tomar riscos excessivos. Caso você não tenha problemas com isto, apenas tire a música “Highway to Hell do AC/DC” da playlist, e pode ir tranquilo(a). Além disso, ouvir música pedalando tira sua atenção aos sons que acontecem ao seu redor, como avisos de outros ciclistas ou aproximação de veículos;
  10. Sempre leve seus documentos pessoais e telefones de contato para emergências, bem como suas informações médicas. Caso algum acidente aconteça, ficará mais fácil para os socorristas lhe oferecerem as atenções necessárias e os amigos avisarem os familiares;sports activity: young adult cyclist riding mountain bike and text messaging on cellphone. Horizontal shape, low angle view, copy space
  11. NUNCA PEDALE E ATENDA O CELULAR OU FIQUE TIRANDO FOTOS. Já vimos diversos acidentes graves acontecerem devido a IMPRUDÊNCIA e IMPERÍCIA dos ciclistas.

Dúvidas ou sugestões: faleconosco@cicloativobrasil.org